12/11/2013



Comissão de moradores de Olaria faz visita à pedreira do bairro

Márcio Madeira
bastidoresdapolitica@avozdaserra.com.br


Diretores afirmam que todas as exigências dos órgãos fiscalizadores são cumpridas

Quatro diretores da Associação de Moradores e Amigos do Bairro Olaria (Amabol), liderados pelo presidente Ricardo Alves, visitaram as instalações da pedreira do bairro no dia 31 de outubro passado. O vereador Ricardo Figueira participou da visita, tanto por ser o presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de Nova Friburgo quanto por ser morador e participante da Amabol. Alves e Figueira consideraram a visita como produtiva.

VANTAGENS E DESVANTAGENS - Os diretores da pedreira afirmaram aos visitantes que todas as exigências dos órgãos fiscalizadores estão sendo cumpridas. Mesmo assim, há interesse na transferência das atividades de exploração mineral para Córrego Dantas. Por enquanto, a direção aguarda autorização nesse sentido do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), do governo federal, onde o processo tramita há anos. Ricardo Alves ouviu dos diretores da pedreira que esperam essa autorização antes de 2015. 

A comissão de moradores ouviu ainda dos diretores da pedreira que, além das licenças para exploração mineral, o serviço consta do plano diretor participativo, que designa aquele ponto como área de exploração mineral. Ainda conforme declarações do presidente da Amabol, uma das maiores preocupações da comunidade olariense é o grande movimento de terra que a empresa faz diariamente, com máquinas e caminhões. Porém os diretores argumentaram que não há riscos de desmoronamento, pois foram feitas captações e drenos de água, a fim de que ela não escorresse sobre a terra movimentada.

Outro ponto debatido durante o encontro foram as explosões de pedra, as chamadas detonações. A direção da empresa ponderou que tem procurado avisar que ocorrem sempre no horário entre 11h e 11h30, às segundas, quartas e sextas-feiras.

No entanto, Ricardo Alves destacou os pontos positivos da localização da pedreira em Olaria, como salientado por seus diretores: a outra mais próxima fica situada em Bom Jardim; se não fosse a pedreira de Olaria, não haveria como suprir a demanda friburguense para construção civil e outros fins; e, além disso, a empresa afirmou que investe na cidade e apoia iniciativas sociais e culturais, sem contar os impostos, que revertem parte para o município, principalmente o ICMS. 

Diante do exposto, Alves comentou que a Amabol vai procurar captar parte desses recursos em benefício da comunidade de Olaria, por ser o bairro onde a pedreira se situa. O presidente da Amabol ficou satisfeito com o canal aberto resultante dessa primeira reunião, visando entendimentos futuros, como um levantamento de todo o bairro, com apoio da empresa, abordando vários setores, como meio ambiente, economia, religião, esportes, entre outros.

ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES - O vereador Ricardo Figueira fez questão de acentuar que convidou os outros dois vereadores componentes da Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal, Francisco de Barros e Joel (do Pote) Martins, que não puderam participar da visita. O edil também frisou as explicações recebidas dos diretores da pedreira sobre as licenças, o cumprimento das exigências e todo o serviço ali desenvolvido em conformidade com a legislação, principalmente do Inea — órgão estadual que designa um geólogo para acompanhar a exploração das lavras de pedra —, além das explosões em dias e horários certos.

Figueira lamenta ter saído antes do demais visitantes, porém aguarda a possibilidade de nova visita à pedreira, desta feita com a presença dos outros dois vereadores da Comissão de Meio Ambiente. Ele gostou da disponibilidade da direção da empresa em aceitar o acompanhamento do serviço por uma comissão da Amabol, sob a ótica do meio ambiente.

O vereador fez questão de frisar que os diretores da pedreira foram solícitos, marcaram de imediato esta primeira visita e mostraram todos os detalhes do trabalho. Ele pensa, inclusive, em propor a nova visita antes mesmo da temporada das fortes chuvas, que já se aproxima.

 


A empresa deve transferir a exploração mineral para Córrego Dantas até 2015

 


O presidente da Amabol, Ricardo Alves, tem interesse em reverter para Olaria parte dos impostos gerados pela pedreira

 


O vereador Ricardo Figueira gostou da ideia de acompanhamento das atividades da pedreira por uma comissão da Amabol


Câmara realizou última audiência pública para debater Orçamento 2014 do município

Vereadores têm até amanhã para apresentar emendas

A Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara, presidida pelo vereador Marcelo Verly, realizou na sexta, 8, a quinta e última audiência para conhecimento público e debate das propostas de Plano Plurianual (PPA) 2014-2017 e de Lei Orçamentária Anual (LOA) 2014 da Prefeitura. Desta vez participaram as secretarias especiais de Ação Integrada de Olaria, Cônego e Cascatinha e de Conselheiro Paulino, representadas pelos seus titulares, respectivamente Denilson Breder e Wilson Tavares, ambos ex-vereadores. Além deles participaram ainda a subsecretária de Turismo, Valéria Mendonça, e o assessor da Secretaria de Serviços Públicos, Fernando Samuel, ambos representando os titulares das pastas.

Além dos vereadores Gabriel Mafort, Gustavo Barroso, Ricardo Figueira, Vanderléia Lima e Zezinho do Caminhão, também fizeram uso da palavra na tribuna Silvio Poeta e Juliana Bevilacqua.

Verly declarou sua satisfação em ter cumprido integralmente o compromisso firmado durante as manifestações ocorridas no mês de junho, quando se comprometeu, juntamente com os demais vereadores, de abrir a discussão orçamentária de forma democrática e transparente: "Todas as audiências foram amplamente divulgadas e todos aqueles que desejaram puderam participar livremente, com pleno direito de apresentar demandas, questionamentos e sugestões”, declarou.

Também foi destacada a disponibilização no site oficial da Câmara dos arquivos que compõem o PPA e a LOA, permitindo livre acesso a todos os friburguenses interessados em conhecer o planejamento do município para os próximos quatro anos proposto pelo governo municipal.

O vereador Ricardo Figueira, membro da Comissão de Finanças e Orçamento, ressaltou ao fim da audiência o prazo-limite para apresentação de emendas pelos parlamentares, que será amanhã, 13. A partir daí a comissão terá prazo até 29 de novembro para análise dos projetos, emendas e emissão de pareceres, de forma a incluí-los na ordem do dia do Legislativo para votação, o que deve ocorrer na primeira quinzena de dezembro.



 O secretário Wilson Tavares (d) faz sua exposição durante a audiência 


Colunistas

Outras Colunas

Leia o Jornal a Voz da Serra Digital, e fique sabendo tudo que acontece na região serrana!
+ Veja mais Charges