07/06/2011



11º BPM faz a maior apreensão de drogas da história na região


Sítio em Lumiar funcionava como refinaria do tráfico: 260 quilos de cocaína e dez de maconha apreendidos

Homens da agência de inteligência do 11º BPM estouraram na tarde do último sábado, 4, uma refinaria de drogas num sítio na localidade conhecida como Toca da Onça, em local ermo e afastado de vizinhos, a cerca de oito quilômetros do centro do distrito de Lumiar. No imóvel, alugado, foram recolhidos 260 quilos de cocaína e mais dez quilos de maconha, além de prensas para entorpecentes, balanças de precisão, colheres de pau, bacias, éter, ácidos, farto material para endolação das drogas e até um liquidificador e dois macacos hidráulicos. A quantidade recolhida resultou na maior apreensão de drogas já feita de uma só vez em todo o Centro-Norte fluminense, a maior de Nova Friburgo — e considerada ainda como uma das maiores do Estado.
Em meio a toda a droga foram recolhidos também 254 papelotes de cocaína já prontos para revenda, outros 22 sacolés do pó e cinco tabletes de pasta-base (que dá origem à cocaína quando diluída). Ninguém, porém, foi preso na operação. Os policiais militares da P2 chegaram ao sítio, bastante ermo e de acesso dificultado pelas estradas de terra batida e malconservadas, alertados por denúncia anônima. A quantidade de drogas encontrada foi tanta que nem coube nas patrulhas do 11º BPM utilizadas na operação. Foi preciso reforço de mais viaturas do próprio quartel e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) para transportar grandes sacos plásticos cheios de cocaína. Uma cena jamais vista em cidades do interior fluminense. Toda a droga apreendida foi encaminhada para incineração no Instituto de Criminalística Carlos Éboli, no Rio de Janeiro. Uma das caminhonetes do 11º BPM deixou o distrito de Lumiar com a caçamba superlotada.
A polícia acredita que a refinaria montada no sítio em Toca da Onça abastecia as bocas de fumo das regiões Serrana, Centro-Norte e também os municípios litorâneos de Rio das Ostras e Macaé. Os agentes da P2 localizaram em Lumiar o proprietário do sítio usado como refinaria do tráfico, que afirmou posteriormente na 151ª DP que alugara o imóvel para um homem conhecido apenas como José, porém desconhecia o fim utilizado para a locação. Tampouco soube informar o paradeiro do tal inquilino. O comandante do 11º BPM, coronel Marcelo Freiman, supervisiona as investigações de tentativa de captura dos responsáveis pela refinaria de drogas de Toca da Onça.

Deixe seu comentário

Colunistas

...

...

...

Outras Colunas